Ônibus poluem oito vezes menos do que carros

 


              Poluição: conter é desafio de todos

Considerado mês do meio ambiente, junho convida ao debate sobre a poluição no trânsito. Engajada na preservação da natureza, a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de Minas Gerais (FETRAM) chama atenção para um dado: ônibus poluem oito vezes menos do que carros, segundo a Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU).

Daí, a importância da consciência sobre o papel positivo do transporte coletivo no meio ambiente, segundo o presidente da FETRAM, Waldemar Araújo. “A preferência pelo ônibus tem repercussão benéfica não apenas no trânsito da cidade, mas sobre a qualidade do ar e o aquecimento do planeta”, observa.

Isso porque, segundo ele, o transporte coletivo leva mais passageiros, polui menos e diminui a quantidade de veículos circulantes. Por outro lado, numa cidade como São Paulo, por exemplo, carros levam 30% dos passageiros, mas respondem por 73% das emissões de gases de efeito estufa do setor de transporte, segundo o Instituto de Energia e Meio Ambiente (Iema).

“Quem utiliza o transporte coletivo polui menos, diminui os congestionamentos e contribui para uma vida melhor”, reforça Waldemar Araújo, ao acrescentar que a FETRAM apoia a campanha da NTU, lançada este mês, com o mote: “Ser sustentável é ser coletivo! Pensar coletivamente é preservar o meio ambiente!”.

Despoluir

O presidente lembra que a responsabilidade ambiental é um dos lemas da Federação. Tanto que desenvolve em Minas Gerais, em parceria com a Confederação Nacional do Transporte (CNT), o Programa Ambiental do Transporte (Despoluir) – de educação ambiental e de controle de emissão de gases no setor.

“Só no mês passado (maio), nossas equipes do Despoluir em Minas Gerais realizaram 3.423 aferições na frota de 71 empresas e constaram que 3.168 veículos estão dentro dos limites legais de emissão de poluentes, além de participação de palestras e outras ações de educação ambiental, como no SEST SENAT”, destaca Waldemar Araújo.

Tal contexto, segundo ele, só reitera a importância do transporte coletivo para a natureza e a mobilidade urbana. “Por isso que o país precisa criar condições de desonerar o custo do transporte de passageiros, para que cada vez mais pessoas optem por esse meio seguro, ecologicamente correto e legal”, assinala.

 

Por Comunicação FETRAM